Dicas

O que é uma composteira doméstica?

Lixo orgânico

Você já deve ter reparado que mais de metade do lixo que produzimos em casa são cascas, talos e restos de alimentos. Esse lixo é o que chamamos de lixo orgânico. Depois de descartado ele vai parar nos aterros sanitários junto com todo o restante do lixo que produzimos. Vai se decompor junto com material tóxico gerando mau cheiro, contaminando a água e o solo com o chorume e atraindo animais que podem causar doenças.

Metade do lixo que é enviado diariamente aos aterros sanitários é lixo orgânico e poderia ser compostado em casa.

Se o lixo orgânico for separado e tratado através do processo de compostagem, ele pode voltar para a natureza na forma de adubo. A forma mais conhecida de fazer esse processo é com a ajuda de minhocas e microorganismos que se alimentam do material orgânico e o transformam no humus, um adubo rico em nutrientes.

No lixo comum os restos se decompõem por meio de bactérias e sem oxigênio causando cheiro desagradável. Na composteira a decomposição acontece sem bactérias e com oxigênio, somada à ajuda das minhocas, o que não causa nenhum odor ruim. As minhocas também aceleram todo o processo de decomposição por serem agentes decompositores.

Lixo orgânico
Fonte: Google

Como funciona a composteira doméstica

As composteiras domésticas são divididas em pelo menos 3 andares. O lixo orgânico é depositado no andar mais alto e coberto com material seco (serragem ou folhas secas) e tampado. Quando essa caixa fica cheia vai ser trocada pelo andar abaixo e vai ficar em repouso por no mínimo mais 1 mês. E o processo de armazenar o lixo orgânico se reinicia na caixa vazia que foi colocada para cima. No andar mais baixo é onde se recolhe o líquido que se forma na decomposição e escorre pelos furos no fundo das caixas (que também servem para que as minhocas andem entre as diversas caixas).

O composto líquido formado pela decomposição (chorume orgânico) pode ser diluído em água e utilizado na rega das plantas ou borrifado como pesticida natural. Dilua cada parte do chorume orgânico (em 5 a 10 partes iguais de água) e use uma vez por semana nas plantas.

Quando o processo de compostagem doméstica é bem feito não haverá mau cheiro. O excesso de umidade pode ocasionar a criação de mosquinhas, por isso é importante cobrir todo material orgânico com cobertura seca (serragem ou folhas secas). Isso evita qualquer tipo de contaminação.

Composteira doméstica - Como funciona
Fonte: Google

O que descartar e cuidados no processo de compostagem

Na composteira podem ser descartados restos de frutas, legumes, sementes, talos, saquinhos de chá (sem as etiquetas) e borra de café (inclusive o filtro de papel). Em menor quantidade podem ser colocadas as frutas cítricas, restos de comida cozida, flores, ervas aromáticas e medicinais, papel toalha e guardanapos de papel. O que deve ser evitado: limão, alho, cebola, pimenta, líquidos de sopa e caldo, papel higiênico e qualquer alimento de origem animal (carne, gordura, laticínios e fezes de animais domésticos). Lembrando que se o lixo orgânico for picado em pedaços menores o processo de decomposição fica bem mais fácil.

A composteira deve ficar em um local abrigado do sol e da chuva. Pode ser um lugar fechado, desde que seja ventilado. Procure acumular o material orgânico descartado em uma lixeira pequena na pia. Quando estiver cheio, transfira para a composteira e cubra com a serragem (ou outra cobertura como palha, grama ou folhas secas). A falta dessa cobertura e o excesso de umidade podem causar larvas ou mosquitinhos. Mas atenção: não utilize serragem com tinta ou verniz que pode intoxicar e até matar as minhocas.

É natural surgirem outros agentes decompositores como joaninhas, besouros pequenos, tatu bolinha e outros insetos. Também podem surgir bolor e fungos, que também auxiliam na decomposição do lixo orgânico. Não coloque líquidos na composteira; os restos de alimentos já possuem um excesso de líquido. O controle de umidade com a cobertura seca visa justamente diminuir a umidade da composteira, e nunca aumentá-la!

Infográfico - Composteira doméstica
Fonte: Google

O resultado: humus rico em nutrientes

Depois que as duas caixas estiverem completas com lixo orgânico é hora de separar o humus que já está pronto na caixa intermediária e que já ficou em repouso pelo menos por um mês. Retire a caixa e deixe destampada no sol para que as minhocas desçam, já que elas são sensíveis à luz. Vá retirando a terra com cuidado para não machucar as minhocas, e sempre a camada mais superficial de onde elas já saíram. Mantenha uma fina camada de humus no fundo da caixa, ou em um lado da caixa, onde estão as minhocas. Em seguida, inverta novamente a posição das caixas e recomece o processo. As minhocas vão migrar do humus para os alimentos que serão colocados na caixa.

O humus resultante da compostagem é uma terra super nutritiva para as plantas

O humus tem aparência de terra bem escura. É normal que exista matéria vegetal ainda intacta, pois as minhocas não se interessaram por ela ou são alimentos duros e grossos demais (cascas ou caroços). Esses restos podem ser separados e recolocados na composteira para mais um ciclo.

Humus
Fonte: Google

Nota: Caso precise viajar ou se ausentar por algum tempo, fique tranquilo: as minhocas conseguem sobreviver até três meses sem a adição de novos alimentos na composteira.

Humi

A minha composteira doméstica é da Morada da Floresta e tem uma série de diferenciais que foram decisivos na escolha. A Humi é produzida com matéria-prima 100% reciclada de caixas longa vida. Esse material faz com que peças da Humi sejam mais flexíveis que o plástico convencional. Ela é lisa por fora, facilitando consideravelmente a limpeza. Possui pés, o que facilita coletar o composto líquido formado na caixa mais baixa, assim como uma queda d’água nessa caixa, direcionando 100% líquido para a torneira. Há também uma ilha nessa base coletora para as minhocas subirem para a caixa digestora acima e não morrerem afogadas.

As paredes laterais da caixa digestora possuem vários furinhos para proporcionar troca de oxigênio entre o ambiente interno e o externo. No entanto, o tamanho dos furos é pequeno o suficiente para impedir a entrada de mosquitos. Na tampa também existem furos de 1,5mm de diâmetro. Esses furos foram projetados para possibilitar a troca de oxigênio, e ao mesmo tempo impedir a entrada de água de chuva.

Humi - composteira doméstica

Mais informações:
Composta São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *