Feijão branco com abobrinha e couve

by Monica Hering

Quando minha mãe se foi, meu pai plantou uma árvore em sua homenagem entre a casa dele e a nossa. Pesquisou, leu, procurou e acabou resolvendo por um jequitibá. Não sei bem o porquê da escolha, mas achei que plantar uma árvore em memória dela já era lindo demais!

No primeiro inverno da arvorezinha, o frio foi demais pra coitada e ela aparentemente não aguentou. Ficou meio seca e parou de crescer. Lembro que meu pai ficou bem triste, mas deixou a ideia da árvore pra outra hora. Tinha tantas feridas pra cuidar…

Feijão branco com abobrinha e couve

Algum tempo depois (talvez anos…) fomos descobrir que o jequitibá tinha vingado e estava crescendo lindo, mas dividido em três árvores que saíam do mesmo tronco. Tal qual minha mãe, que era trigêmea!

Desde que voltei para São Paulo, escolhi o cantinho do jequitibá para meditar e assistir o pôr do sol. Ele está num dos pontos mais altos aqui do sítio e é de onde a gente vê as cores mais quentes do céu, quando já está anoitecendo.

Encontrei uns tronquinhos cortados para virar lenha na pilha no canto da garagem e improvisei um banquinho, que ficou meio curvo, igual uma poltroninha. E é por lá que gosto de acalmar os pensamentos e dar uma organizada nas ideias. Bem do lado há alguns pés de limão e quando estão florindo, não preciso dizer que o perfume é do outro mundo – literalmente! E quando sinto saudade da minha mãe, de quebra, dou um abraço na árvore.

Feijão branco com abobrinha e couve

Nos últimos dias andou fazendo frio – na verdade, muito frio para o meu gosto. Logo quando eu me preparava para guardar a roupa de inverno e começar a semear um monte de verdurinha que precisa de mais calor. Com o tempo assim, acabei deixando de ir no jequitibá esses dias, mas ainda vejo ele da janela.

Além disso, já que tivemos frio, aproveitei para fazer algumas comidinhas que aquecem não só o corpo, mas a alma. É aquela sensação de conforto (como o abraço que dou no jequitibá) e ainda de quebra, faz a gente até esquecer um pouquinho de tanta tristeza que o país está vivendo…

O cozido de feijão branco com abobrinha foi a receita escolhida e feita com folhas de couve da horta, assim como a salsa, cebolinha, alecrim e o louro… Este último cresceu tanto que até assustou, já que costuma seguir um ritmo lento. É quase como 2020, fora do normal e em velocidade avançada…

A receita foi quase nada modificada do blog Compassionate Cuisine.

Feijão branco com abobrinha e couve

Feijão branco com abobrinha e couve

Ingredientes

  • 1 colher (sopa) de azeite de oliva ou óleo vegetal
  • 1 cebola picada
  • 2 dentes de alho picados
  • Raspas de ½ limão
  • 1 folha de louro
  • 1 raminho de alecrim
  • 1 colher (chá) de páprica
  • 2 talos de salsão picados
  • 1 lata de tomate pelado (ou 2 tomates grandes e maduros picados)
  • 1 colher (chá) de orégano
  • 2 xícaras de feijão branco cozido
  • 1 xícara de caldo de legumes
  • 1 abobrinha cortada em cubos
  • Folhas de couve picadas em tiras
  • Sal e pimenta do reino

Creme de tofu e ervas

  • 270 g de tofu
  • 1 colher (sopa) de azeite de oliva (ou mais, a gosto)
  • Suco de ½ limão
  • ¼ xícara de farinha de amêndoa (ou resíduo de leite vegetal)
  • ½ colher (chá) de alho em pó
  • 1 colher (chá) de mostarda em grãos
  • 1 colher (chá) de orégano
  • Folhas frescas de salsa, cebolinha, manjericão
  • Sal e pimenta do reino

Modo de fazer

  • Aqueça uma panela de fundo grosso em fogo alto. Refoque a cebola no azeite até ficar translúcida. Em seguida junte o alho e o salsão. Mexa e refogue por 1 a 2 minutos. Junte o tomate e as ervas frescas, o caldo de legumes, páprica e raspas de limão.
  • Cozinhe por alguns minutos e junte a abobrinha e o feijão. Cozinhe até a abobrinha ficar macia.
  • No final do cozimento junte as folhas de couve picadas. Misture e cozinhe só até incorporar.
  • Sirva acompanhado do creme de tofu e ervas.

Creme de tofu e ervas

  • Bater todos os ingredientes no processador até ficar homogêneo e bem cremoso.

Outras sugestões:

Deixe um comentário