Pudim de goiaba

É incrível como o distanciamento das feiras e dos mercados de frutas e verduras faz com que muita gente se esqueça de como são alguns ingredientes em seu estado natural… Já vi pessoas confundindo qual tem caroço, semente, fiapos e cascas finas ou duras, sem falar nas cores variadas!  Parece que para alguns, muita fruta ou verdura nasce em bandejinhas de supermercado…

Pudim de goiaba

Um dos lugares que mais gosto de ir aqui em São Luís é o varejão de frutas e verduras do Ceasa. É um mercado coberto, mas com as mesmas bancas que a gente costuma ver na feira de rua. Verduras fresquinhas e frutas tão perfumadas, que muitas vezes antes de ver, a gente sente o perfume. Foi o caso das goiabas deste pudim… Não sabia onde elas estavam, mas senti de longe o seu cheiro delicioso!

Pode até ser prático comprar polpa de fruta já processada, e em alguns casos, tenho que concordar que existem frutas bem difíceis de abrir e separar das sementes. Já passei uma tarde inteira separando gomos de cupuaçu das suas sementes, usando até tesourinha de costura! Deve ter sido uma cena bem engraçada, mas não tenho certeza de que eu vá repetir a experiência. No entanto, usar as goiabas fresquinhas para preparar este pudim fez a diferença. Além de simplesmente bater tudo no liquidificador e depois coar a polpa (o que é uma tarefa bem fácil!), a casa ficou perfumada antes mesmo que o pudim estivesse pronto.

Pudim de goiaba

Quem acompanha o blog sabe que deixei de usar o leite de vaca depois que mudei para São Luís. Nesta receita usei o leite de aveia, que ajudou bastante a obter uma textura bem cremosa para o pudim. Mas poderia ter usado qualquer outro leite vegetal. Acho que a escolha é algo bem pessoal. O lado bom é que temos muitas opções, como arroz, amêndoa, castanhas… Todas com características e sabores incríveis. Alguns leites são mais ralos, outros mais perfumados… Se tiver a disposição, vale a pena também adotar o hábito de preparar o seu próprio leite vegetal em casa.


Pudim de goiaba

Porções 4 porções

Ingredientes

  • 3 goiabas
  • 1 xícara de água filtrada
  • 2 xícaras de leite vegetal (usei o de aveia)
  • 3 colheres (sopa) de araruta ou amido de milho
  • xícara de açúcar demerara

Modo de fazer

  • Descasque as goiabas e bata no liquidificador com 1 xícara de água filtrada. Passe por uma peneira.
  • Dissolva a araruta em ½ xícara de leite.
  • Junte a polpa coada e os outros ingredientes em uma panela e leve ao fogo médio. Cozinhe mexendo com uma colher de pau até engrossar.
  • Coloque em tigelinhas individuais e leve à geladeira até o momento de servir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Participe dos comentários

  1. Anderson Gomes says:

    Quanto tempo em média em fogo baixo irá dá? Eu conzinhei até borbulhar e dá uma engrossada, um isto por 16 minutos. Agora está na geladeira, mas qual é o ponto q tem q ficar? Quanto tempo tem q ficar no fogão? O meu ficou espesso, ainda cai da colher de boas, mas não sei se está no ponto grosso adequado.

    1. Olá Anderson! É dificil falar em tempo de fogo… Afinal isso pode variar tanto de fogão para fogão! O importante é sentir que o creme engrossa enquanto você vai mexendo com a colher. Ele também vai ficar mais firme depois que esfriar.

Close
© 2021 - Santo Legume
Close